As sacolinhas se foram. Ficaram as dúvidas

À partir de hoje as sacolinhas plásticas não são mais oferecidas pelos supermercados do Estado de São Paulo. Visitei nessa manhã algumas lojas de diferentes redes supermercadistas em Bauru para observar a reação dos consumidores diante dessa novidade. A constatação é de que houve um alto grau de envolvimento com a campanha, visto que a maioria dos clientes chegava às lojas com suas sacolas retornáveis ou às adquiria no local. Esse engajamento é decorrente de uma conscientização gradual sobre a participação de cada um na preservação do meio ambiente. Mérito também da comunicação da campanha, que comprovadamente alcançou e ativou essa participação maciça da comunidade. O que não significa concordância irrestrita com a medida. Muitos questionam o por que da campanha começar justamente pelo ítem que significa mais um custo para o consumidor e economia para os supermercadistas. As mais de 20 milhões de sacolinhas distribuídas mensalmente em Bauru representavam um valor significativo aos empresários, chegando à R$ 150.000,00 mensais para uma grande rede da cidade de acordo com algumas fontes ouvidas pelo blog. Essa economia será revertida de alguma forma aos consumidores ? Porque o custo já foi repassado. A bauruense Marcela Carneiro da Cunha, em comentário no facebook, sintetizou as dúvidas, e críticas comuns à muitas outras pessoas. Após ressaltar a sua preocupação com a questão ambiental, ela diz :”Estamos banindo o único plástico oferecido DE GRAÇA pelos supermercados”. Convidando à imaginar os corredores de um supermercado ela reflete :”quantos produtos embalados em plástico você consegue imaginar ?…arroz, feijão, açucar, sal..e os que são envoltos em plástico duro..iogurte, manteiga, óleo, detergente…” Depois pergunta :”será que a vilã é mesmo a sacolinha ? Ahh..mas pelos outros plásticos a gente já paga !”. É isso. Toda mudança, por melhor que seja, gera dúvidas e desconfianças que são atenuadas apenas com informação precisa e confiável. Cabe à APAS, associação constituída por empresários bem intencionados, esclarecer essas demandas, bem como informar sobre as próximas ações do segmento na preservação do meio ambiente. Engajamento em uma causa requer ações duradouras, e os supermercados, pela significativa presença na vida dos cidadãos e grande poder econômico, podem fazer muito mais. A sociedade e o planeta agradecem.

Autor: Rogério Franco

Radialista, jornalista, publicitário, escritor e palestrante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.