Quando é difícil ajudar

São muitas as formas de lidar com problemas : enfrentando, fugindo ou abstraindo, por exemplo. Mas à essas atitudes, ou à falta delas, precede uma fase de introspecção, de distanciamento de tudo e de todos. É um período para organizar o mundo interior e entender melhor o que se passa do lado de fora. Reflexão é fundamental diante de problemas ou decisões que precisam ser tomadas. Mas aí mora o perigo. Você talvez conheça pessoas que diante de uma crise se isolam de tal forma que não se ajudam e nem aceitam ser ajudadas. Não ouvem sugestões, não falam o que sentem e não enxergam a saída. É como se entrassem num quarto escuro e se amarrassem aos velhos problemas, dormindo com eles, fazendo as pazes com eles. Fazendo as pazes com eles ? Sim, e a prova disso é perceber que quando deixam o seu estado de reclusão os problemas ainda estão lá, os mesmos, os de sempre. Não houve solução ou alívio, mas um conformismo nocivo. Foi uma decisão de não mudar, afinal é mais fácil conviver com as dores conhecidas do que buscar a felicidade que não se conhece. Dá muita vontade de ajudar quem se comporta (se sabota ?) assim, especialmente se for alguém que amamos, mas isso é bem complicado porque as tentativas de ajuda quase sempre são interpretadas como intromissão. O melhor é aceitar que cada um leva a vida do jeito que escolhe, mesmo que as escolhas sejam inconscientes. Quem nunca agiu de um jeito bem idiota só prá se arrepender mais tarde ? A escritora francesa do iluminismo, Madame de Stael, disse : ‘na vida você tem que escolher entre tédio e sofrimento’. Tem gente que escolhe os dois. Paciência.

Você quer mesmo a alegria ?

Todo mundo quer ser alegre. Certo ? Mais ou menos. Por mais incrível que possa parecer, é comum a atitude de encarar a alegria como uma estranha que deve ser mantida à distancia. E as formas de se fazer isso são variadas. Por exemplo, algumas pessoas tem medo de perder o autocontrole na alegria, evitam situações de descontração e quando vão à uma festa ficam depois relembrando cada momento em busca de alguma atitude inadequada que possam ter demonstrado. Outras creem que a alegria e a expontâneidade depõem contra a sua reputação. Também nessa categoria estão aqueles que entendem que a sua alegria pode ofender pessoas próximas que estejam enfrentando problemas e entristecidas. Existem motivos diversos que explicam essa postura, e um dos principais é a ideia de que o que dá prazer, como a alegria, está relacionado ao pecado. Conceito esse que foi criado pelas religiões e contrário ao que a Bíblia diz, que a alegria é um dos frutos do espírito, onde não há pecado. Portanto, reflita sobre a sua relação com a alegria; será que de alguma forma você está sabotando a sua ? O que te faz feliz ? Seja qual for a sua situação, você tem muitos motivos para se alegrar. A alegria nasce das coisas mais simples e humanas, como ajudar alguém. Entenda que mesmo diante de adversidades é possível encontrar momentos alegres. Portanto, reconheça e aceite todos os motivos para se alegrar. E alegria verdadeira é aquela que é praticada, demonstrada e distribuída generosamente. Já dizia o poeta : “é melhor ser alegre que ser triste, alegria é a melhor coisa que existe, é assim como a luz no coração”. Permita que a luz da alegria ilumine o seu coração e a sua vida, sem medo nem culpa !