Queijo, vinho e desejo

Um conto é uma narrativa curta, que dá o seu recado. Esse é um recado que as mulheres conhecem.

“O coração é um mar, sujeito à influência da lua e dos ventos”. Machado de Assis

Foi tudo muito rápido e intenso. O dia tinha sido estressante por conta de uma discussão com o marido. Nos últimos meses ela sentia um distanciamento entre os dois, com a consequente falta de carinho e atenção. Naquela manhã de sábado ela tentou conversar sobre isso, o marido retrucou dizendo que ela era uma idiota perfeita, e que ele não tinha que dar satisfações. Ainda aos berros, bateu a porta e saiu cantando os pneus rumo ao bar, provavelmente. Ela sentiu-se ofendida, gritou, chorou e tomou um comprimido de Bromazepan para dormir. Acordou já no início da noite, o marido não havia voltado, tomou um banho, colocou um vestidinho leve e foi ao supermercado. Na sessão de vinhos ele perguntou se Malbec harmonizava com queijo Estepe. Ela levou um susto : há muito tempo ninguém se interessava por sua opinião e lhe sorria com alegria e interesse. Tentando balbuciar alguma coisa ela se desculpou e saiu apressada com seu carrinho, o coração disparado. Imediatamente vieram pensamentos e sensações que toda mulher conhece : as tentativas frustradas de aproximação com o marido, as dúvidas sobre o futuro do casamento, a rejeição ao implorar por carinho, e aquela vontade de se sentir desejada. No corredor de produtos naturais os carrinhos novamente se encontraram e ela disse, trêmula e respiração acelerada, que gostaria de experimentar Malbec com Estepe. Os carrinhos ficaram alí mesmo. Aquela noite foi uma experiência avassaladora, ela não se lembra do lugar, de quanto tempo durou; mas foi tudo. Nada à ver com vingança, foi por ela mesma. Quando chegou em casa o marido estava esparramado na cama, roncando alto, cheiro de álcool no ar. Ela olhou a cena, sorriu com superioridade e foi dormir. Dormir não, foi sonhar, como nunca antes.