Qual a sua missão profissional ?

O mercado de trabalho é um campo de guerra, mas a batalha mais complicada acontece dentro de quem ainda não encontrou um caminho profissional à seguir. É aquela história : para quem não sabe onde quer chegar, qualquer estrada está valendo, mesmo que não leve à lugar algum. E aí a pessoa passa a vida se esforçando à ser alguém num trabalho sem sentido, sabotando sua saúde emocional, a satisfação pessoal e a concretização da prosperidade. O que é uma pena, porque todo mundo tem talentos para se diferenciar, mas é preciso descobri-los. Que tal fazer uma reflexão sobre isso ? Pense em todas as possibilidades que estão ao seu alcance para mudar e melhorar de vida. Leve em conta os seus talentos, o que você gosta de fazer e te dá prazer, os seus sonhos mais loucos, seja lá o que for. Sim, lembre-se daqueles momentos em que você pensa : “ah, a minha vontade mesmo era trabalhar com TAL COISA, mesmo que não ganhasse muito dinheiro”. Qual é essa bendita TAL COISA que mexe com o seu coração ? A resposta pode estar aí. O que você gostaria de fazer profissionalmente se não tivesse que dar satisfação sobre esse trabalho para seus amigos e familiares ? Quando criança, qual a atividade ou brincadeira que te deixavam feliz ? E com qual trabalho essa brincadeira pode estar relacionada atualmente ? Pense se o seu hobby poderia se transformar numa forma de ganhar dinheiro. O mercado atual assiste à um ressurgimento de atividades artesanais até há pouco tempo desvalorizadas. Tem gente se especializando em brigadeiros sofisticados, e cabeleireiros e maquiadores atendendo em domícilio. Tem costureiras criando grifes exclusivas e gente estudando organização doméstica. São pequenos negócios que geram lucros. Num mundo tão competitivo e com muitos segmentos saturados, a essência de cada pessoa projetada num trabalho faz toda a diferença. Então, não esconda o seu potencial, não tenha vergonha do que você gosta, não tenha medo do sucesso. Quando você descobre a sua missão profissional, você não ganha apenas dinheiro, você ganha vida !

Inveja se combate com felicidade

Eu não me prendo às maldades que fazem comigo. Claro que no primeiro momento eu sinto o abalo causado por uma traição, uma fofoca, ou uma mentira dita à meu respeito. E quanto maior a proximidade da pessoa que agiu assim, maior a minha decepção, sempre acompanhada das conhecidas reações : boca seca, palpitação, e aquele ímpeto de resolver tudo imediatamente, aos gritos, de preferência. Durante muitos anos foi assim que eu lidei com essas situações ‘inesperadas’, mas esse jeito reativo de defesa, além de não resolver, acabava criando novos problemas. Muitas vezes eu chegava à conclusões precipitadas, errava na avaliação e perdia a razão. O resultado ? Eu me sentia culpado pelo descontrole. Com o tempo, fui aprendendo a divina provisão do equilíbrio. Hoje, diante de um aparente ato de falsidade, eu ainda tenho as reações físicas que são amenizadas com a respiração consciente que acalma e afasta a raiva. Se a intenção da outra pessoa foi realmente me prejudicar, eu passo à fase do diálogo, o que não significa discussão ou briga. Já aconteceu do agressor não querer conversar e até justificar a sua atitude maldosa. Tudo bem, eu fiz minha parte. Depois disso, meu coração ficará blindado para essa pessoa e eu me prepararei para uma ação consciente em relação à ela (alguns amigos chamam isso de vingança, eu chamo de ‘organizar relacionamentos’). Claro que eu aceito que todos somos imperfeitos e também acredito na justiça divina, mas nem por isso vou me permitir enganar ou atingir pela mesma pessoa, vez após vez. Isso não seria espírito cristão, mas burrice. E assim eu não me prendo às maldades que fazem comigo. Sigo em frente de cabeça erguida, na paz de Deus. Essa sim é a maior vingança aos ‘amigos’ e ‘colegas’ movidos pela inveja : a minha felicidade.

Você quer mesmo a alegria ?

Todo mundo quer ser alegre. Certo ? Mais ou menos. Por mais incrível que possa parecer, é comum a atitude de encarar a alegria como uma estranha que deve ser mantida à distancia. E as formas de se fazer isso são variadas. Por exemplo, algumas pessoas tem medo de perder o autocontrole na alegria, evitam situações de descontração e quando vão à uma festa ficam depois relembrando cada momento em busca de alguma atitude inadequada que possam ter demonstrado. Outras creem que a alegria e a expontâneidade depõem contra a sua reputação. Também nessa categoria estão aqueles que entendem que a sua alegria pode ofender pessoas próximas que estejam enfrentando problemas e entristecidas. Existem motivos diversos que explicam essa postura, e um dos principais é a ideia de que o que dá prazer, como a alegria, está relacionado ao pecado. Conceito esse que foi criado pelas religiões e contrário ao que a Bíblia diz, que a alegria é um dos frutos do espírito, onde não há pecado. Portanto, reflita sobre a sua relação com a alegria; será que de alguma forma você está sabotando a sua ? O que te faz feliz ? Seja qual for a sua situação, você tem muitos motivos para se alegrar. A alegria nasce das coisas mais simples e humanas, como ajudar alguém. Entenda que mesmo diante de adversidades é possível encontrar momentos alegres. Portanto, reconheça e aceite todos os motivos para se alegrar. E alegria verdadeira é aquela que é praticada, demonstrada e distribuída generosamente. Já dizia o poeta : “é melhor ser alegre que ser triste, alegria é a melhor coisa que existe, é assim como a luz no coração”. Permita que a luz da alegria ilumine o seu coração e a sua vida, sem medo nem culpa !

Um sonho

Acordei agora e preciso escrever isso :

Sonhei que sonhava um sonho
Daqueles que não sonho mais
Sorria, cantava e voava
De tão lindo eu nem acreditava

Diante de tanta alegria
Eu já sabia o que aconteceria
E sentindo medo de acordar
No sonho parei de voar

Acordei com o coração disparado
Continuei alí frustrado
Por que será que diante de um sonho
A gente fica assim preocupado ?

É mais fácil acreditar em sonho mal
Pesadelo é o normal
Quando aparece a alegria
A gente nem diz bom dia