Intimidação nos semáforos em Bauru

Dois cruzamentos em vias de grande movimento geram apreensão nos motoristas.

O problema não é o tráfego intenso, mas os ‘donos’ dessas esquinas.

Refiro-me aos indivíduos que oferecem-se para limpar os parabrisas dos carros que aguardam no sinal vermelho.

Invariavelmente estão alcoolizados e/ou drogados. Aproximam-se de forma ameaçadora. Abordam as motoristas mulheres e idosos. São insistentes, recusando-se a ouvir uma negativa sobre o ‘serviço’ que querem prestar em troca de umas moedas para comprar mais bebidas e drogas.

Demonstram sua irritação agitando no ar baldes e vassouras, como armas prontas a serem utilizadas. Na calçada, entre panos velhos e imundos é possível notar garrafas de aguardente.

Todo esse material representa risco também para os pedestres que são obrigados a mudar de calçada para evitar o encontro com esses seres ameaçadores.

Em boa parte do dia ou da noite eles estão lá, em semáforos conhecidos dos bauruenses : Rua Amadeu Sangiovani esquina com a Avenida Getúlio Vargas (esquina do Supermercado Paulistão) e na Nações Unidas esquina com Rodrigues Alves, local onde um motorista foi agredido por um desses vagabundos (tem outro adjetivo ?) no ano passado.

Até quando o cidadão precisará passar por isso ? Já não bastam outras formas de violência e insegurança as quais somos submetidos todos os dias ?

Cadê a polícia ?

O Conselho Tutelar retira das esquinas crianças que pedem esmolas, com o objetivo de protegê-las e encaminhá-las as famílias. Mas e esses marmanjos inconvenientes ? Quem age contra eles ?

Cadê a polícia ?

Será preciso uma tragédia para as autoridades tomarem providências ?

Eu como cidadão tenho direito de cobrar : cadê a polícia ??!!

Desprezo aos partidos políticos

O mesmo estudo divulgado pela Folha nesse domingo dia 21, que indica o aumento da rejeição dos brasileiros ao PT, mostra também que ocorreu uma queda acentuada no número de simpatizantes dos partidos políticos : de 44,43% em 1997 para 29,20% em 2014. Esse cenário reflete o desprezo dos cidadãos pelas siglas partidárias, consideradas farinhas do mesmo saco da corrupção e abrigo dos poderosos que atuam em causa própria.

Por mais justa e legítima que seja essa visão da sociedade em relação aos partidos, ela é perigosa. Afinal, a democracia se constroi num sistema político onde os partidos são fundamentais para a multiplicidade de idéias e representatividade dos cidadãos. Não existe democracia sem partidos políticos. E para melhorar a qualidade dos partidos que aí estão é preciso que o cidadão faça mais do que apenas reclamar e criticar os políticos e seus desmandos, é necessário agir. Quando pessoas de bem começarem a ocupar de forma mais consistente os espaços nas estruturas partidárias, a coisa pode começar a mudar. Enquanto pessoas de bem continuarem se afastando da vida política, o caminho estará aberto para corruptos, incompetentes e aproveitadores.

Cresce rejeição ao PT

A Folha traz hoje matéria sobre o aumento dos que se consideram antipetistas. Essa rejeição seria de 11,44%, número maior até do que a soma dos que declaram simpatia pelo PSDB e PMDB. Mas acho que a tragédia petista é ainda maior.

Os números são de 2014, quando boa parte da população não fazia idéia dos descalabros econômicos e políticos que estavam sendo praticados pelo governo do PT com o único objetivo de ganhar as eleições daquele ano. Também em 2014 a Operação Lava Jato, iniciada em março, ainda não havia mergulhado no maior esquema de corrupção na história do país, no qual participaram figuras ilustres do PT e seus comparsas de outros partidos. As classes sociais menos favorecidas, redutos eleitorais históricos do partido, também tem sido contagiadas pelo sentimento antipetismo, pressionadas pela inflação e o desemprego dos últimos meses.

Por tudo isso, é razoável acreditar que o número de pessoas que odeiam o PT é hoje ainda maior e crescente. Que a insatisfação seja o estopim de importantes mudanças.

No ano olímpico o Brasil já é ouro no desemprego

Recordes da incompetência :

– Número de desempregados no país sobe 41,5% em um ano, diz o IBGE,
– atualmente mais de 9 milhões de brasileiros estão desempregados,
– mais de 1 milhão e 100 mil trabalhadores com carteira assinada foram demitidos entre 2014 e 2015,
– o país perdeu 1,54 milhão de vagas de trabalho com carteira em 2015, pior resultado para um ano desde 1992, segundo o Ministério do Trabalho
– foram perdidos 533 mil postos de trabalho em um ano – vagas que não serão mais ocupadas, revela IBGE.

Bauru também assiste a essa triste evolução do desemprego na indústria, comércio, veículos de comunicação e setor de serviços.

O empresário demite porque está sufocado por uma política econômica engedrada por inergúmenos que estão no poder.

O ex-ministro Delfim Netto defende a tese que após as Olimpíadas o desemprego poderá resultar numa convulsão social que terá início no Rio de Janeiro, a Cidade Olímpica, qualificada por ele como ‘um caldeirão prestes a explodir’.

Números relacionados ao desemprego não podem esconder o drama pessoal e social que representam.  Em cada emprego perdido existe um ser humano que tem agredida sua dignidade e amor próprio. São famílias que se desestruturam. Surgem o medo, a insegurança e a revolta.

Medo, insegurança e revolta : a história ensina que quando esses três sentimentos são colocados em ação pela sociedade, as forças dominantes pouco podem fazer para evitar uma grande mudança.