O tempo não pára ?

Numa conversa com o meu amigo e grande comunicador Anselmo Manzano, líder de audiência apresentando o ‘Ritmo da Manhã’ na 94 FM, falamos sobre a sensação geral de que o tempo está passando rápido demais. Excesso de compromissos e trabalho enchem os dias de tal forma que não vemos a vida passar e de repente, já estamos às portas de 2015; parece que foi ontem que dávamos boas vindas à 2014 ! Pode ser que Deus esteja de alguma forma apressando a evolução da raça humana, disse o Manzano. Pode ser que estejamos nos empenhando em atividades além do nosso limite e muitas delas irrelevantes, eu comentei. E concordamos que é preciso ‘sair do piloto automático’ para pensar onde estamos e onde queremos chegar. Nesse mundo veloz de tantas demandas e distrações, estamos esquecendo pessoas, sonhos e pedaços de nós mesmos pelo caminho ? Temos a mania pouco racional de dar conta de tudo, de saber de tudo e de conquistar tudo; para quê mesmo ? É isso. Talvez precisemos dar uma parada prá pensar e acordar. Afinal, se o tempo é finito o que estamos fazendo com ele ? Desperdiçá-lo é uma insanidade, e acho que a gente faz isso quando não vive do jeito que quer, e se distancia de quem ama. E acredito que a sensação de não ver o tempo passar é um sinal de que estamos vivendo uma vida que não é nossa. E para saber reconhecer a própria vida é preciso sair da loucura da rotina diária. Uma dica é reservar alguns minutos ao dia para pensar nos acertos e erros da últimas horas, reforçar a visão dos objetivos à serem alcançados, lembrar-se das pessoas especiais e dar atenção às emoções e sentimentos. Essa reflexão simples fortalece o autoconhecimento. Quando olhamos para dentro podemos chegar à conclusão de que nos empenhamos em atividades, preocupações e relacionamentos que não tem nada à ver com quem somos e o que queremos e que apenas nos sobrecarregam. E então, de uma forma bem consciente será possível livrar-se desses pesos desnecessários e focar naquilo que nos fortalece. Os dias continuarão à ter 24 horas, mas a impressão será de que cada minuto é uma dádiva e que o tempo para ser feliz é a gente que faz.

06 motivos para não sentir raiva de invejosos e de egoístas

Pessoas egoístas e/ou invejosas pagam um preço muito alto por sua imaturidade emocional. Apesar do mal que podem causar, em certos aspectos são dignas de pena.
Veja só :

1 – O invejoso vive em função de quem ele inveja, almeja a posição, as coisas e os sonhos do outros : ele é dependente.
2 – O egoísta nunca está satisfeito, vive reclamando e normalmente não tem atitude para resolver os seus problemas : ele é indolente.
3 – O invejoso não foca na sua própria vida e nos seus talentos pessoais, por isso, dificilmente alcança bons resultados : ele é incompetente.
4 – O egoísta não se dá conta de como ele mesmo sabota os próprios planos : ele é inconsequente.
5 – O invejoso não percebe o tempo que perde invejando a vida alheia : ele é displicente.
6 – O egoísta não valoriza os relacionamentos pessoais e não assume compromissos com ninguém : afinal, ele é egoísta.

É bom ficar atento : egoísmo e inveja não são características exclusivas de alguém, todos podemos incorrer neles em algum momento. Mas ao conviver com egoístas e/ou invejosos convictos, o ideal é estabelecer limites claros para não ser vítima dos seus ataques injustos. O egoísmo e inveja deixam as pessoas recalcadas. O amor e a alegria são libertadores.

Stevie Wonder : superação na música e na vida

Ouvir Stevie Wonder é entrar numa outra dimensão musical e de vida. A música é genial, a história de vida é pura superação. Com uma deficiência visual desde que nasceu, Stevie nunca aceitou ser vítima das circunstâncias e assinou seu primeiro contrato com uma gravadora aos onze anos de idade. Desde então construiu uma carreira repleta de sucesso conquistando o recorde de 25  Grammy Awards. O seu nome de batismo é Stevland Hardaway Morris. Uma de suas músicas que eu mais gosto é Ribbon In The Sky, que me remete aos anos 80, quando eu começava minha trajetória no rádio e na vida. O rádio é minha profissão até hoje, e na vida às vezes eu reconheço traços de fraqueza quando penso em desistir de um objetivo por conta de obstáculos no caminho. Aí eu penso que os obstáculos que esse cara enfrentou e venceu foram muito, muito maiores que os meus. E talvez moldado por eles, Stevie se transformou num gênio. Como qualquer indício de genialidade passa muito longe de mim, satisfaço-me em ouvir a sua música. Com ela eu entro em outra dimensão, e fortaleço minha crença no poder da superação.