Conselheiros perigosos

É preciso tomar cuidado com o que se diz para certas pessoas. Além dos invejosos e fofoqueiros, que dispensam apresentações, existe outro grupo especialmente perigoso : o dos conselheiros. Estão nesse grupo aqueles que sempre tem um conselho para dar, uma palavra de cautela para apresentar, uma preocupação para impôr. Fazem isso mesmo quando ninguém pediu nem conselho, nem cautela, nem preocupação. São pródigos em enxergar problemas onde não existem, e tornam pesada uma conversa que deveria ser leve e agradável. Por exemplo, se alguém conta para um indivíduo conselheiro que está muito feliz por ter comprado um carro, ouvirá toda a ladainha : ‘mas você precisava comprar um carro ? Eu acho que você deve fazer um seguro, porque estão roubando muitos carros por aí. Agora você terá mais despesas, é melhor economizar. Escuta : tome cuidado porque esse trânsito está um perigo, todo dia morre alguém’. Pronto, o pobre coitado já se arrependeu de sua conquista depois dos ‘conselhos’ que ouviu. Pais normalmente pertencem è esse grupo, porque, com raríssimas exceções sabem como poucos praticar o ato de jogar baldes de água fria em pessoas confiantes e cheias de planos, no caso, os filhos. Chefes e gerentes ídem, e quem não tem o que fazer, ídem. Esse tipo de conselheiro é gente negativa e chata, crítica e palpiteira; e que pensa saber mais da vida do que ninguém. Desconfio que essa característica de palpitar na vida alheia é um cacoete para não olhar para a própria vida e lambanças pessoais; uma espécie de auto-engano. É também uma tentativa de ser relevante, de ocupar um espaço. Eu disse no início que esse grupo é perigoso e eu explico porque. Essas pessoas disseminam dúvidas, inseguranças, medos, e mesmo que a intenção seja orientar e prevenir, acabam causando um mal maior na vida de quem dá ouvidos à sua conversa limitadora e assustadora, que vai da quebra da autoestima à falta de atitude para enfrentar os desafios com confiança. É melhor detectar quem são esses e se afastar, buscando quem realmente tem uma palavra de encorajamento. De minha parte quero pedir aos muitos conselheiros que conheço que não percam tempo me aconselhando. Se tiverem amor (ou dinheiro) para me dar tudo bem, caso contrário sejam felizes, bem longe de mim. Conselhos que nada mais são do que críticas veladas à minha forma de ser motivadas pela inveja e maldade, eu dispenso.

Nós é que sabemos

Muitas vezes olham para nós e apontam um defeito, e a gente acredita, nos esquecendo que na verdade não é um defeito, mas uma característica com a qual Deus nos abençoou e que nos faz únicos, iluminados. Por que então disseram que era um defeito ? Ora, as pessoas dizem muitas coisas que não são verdadeiras. Por isso, o importante não é o que dizem de nós, e sim, o que sabemos que somos.

Onde estão as palavras que precisamos ?

Certos dias em que estamos tristes, as pessoas dizem :
– ‘Tá com algum problema ? Não fique com essa cara amarrada !’
Nos dias que em que estamos alegres e confiantes, ouvimos :
– ‘Tá feliz assim por quê ? Parece que não leva nada à sério!’
O que eu quero dizer é que nem sempre ouvimos as palavras que queremos ou precisamos. As pessoas estão tão mergulhadas em suas próprias dores e aflições que não percebem o quanto suas palavras podem machucar. Sendo assim, é melhor que o nosso estado de espírito não dependa dos comentários dos outros. Como fazer isso ? Por reconhecer que os sentimentos são seus, e ninguém tem direitos ou poder sobre eles. Esse mecanismo de defesa pode não ser fácil, mas é simples assim.

 

Culpa, perdão e seguir em frente

Não se culpe. Tudo o que você fez foi o que parecia ser o melhor naquele momento. Se você não fez algo que deveria ter feito, certamente teve motivos para isso. Talvez você estivesse vivendo um período de pouca consciência, de baixa percepção, mas isso é próprio do ser humano, então não seria justo se culpar. Talvez você sinta culpa porque alguém disse que você errou. Ser acusado é muito triste, mas não significa que a pessoa que te julga esteja certa, na verdade, quem te acusa não deveria ter o poder de te abater emocionalmente. Será que essa pessoa nunca cometeu um deslize ? Pode apostar que sim. Os pais, as religiões, os amigos invejosos, os chefes, os colegas de trabalho ardilosos, todos nos repreendem, nos reduzem, nos fazem sentir culpados, inadequados, errados. Será que a culpa que você sente foi introjetada por alguém do seu relacionamento ? Entenda : o que parece certo hoje pode se mostrar algo não tão bom amanhã. A vida é mudança constante. Então não seria justo se culpar por uma situação além do seu controle que se alterou, não é verdade ? Os seus valores, suas escolhas, seu conhecimento estão sempre mudando. Ninguém é hoje a mesma pessoa que foi ontem. Deixe o passado no passado, olhe para o que você fez como aprendizado. Olhe com generosidade e amor por sua história. Se quiser pedir perdão, faça isso ainda hoje. Essa atitude faz a culpa evaporar. E se precisar perdoar alguém, faça isso ainda hoje. Perdoar deixa a alma mais leve. Se a sua culpa é com Deus, peça perdão, alivie o seu coração. Quando um lindo vaso de vidro se quebra, de que adianta ficar descalço sobre os cacos, chorando e lamentando ? Isso só nos machucaria, nos faria sangrar e impediria de continuarmos nossa caminhada. Prender-se à culpa é o mesmo que ficar pisando em cacos de algo que se quebrou. Junte os cacos e busque novos vasos. A culpa suga a vida e a vida já é curta demais. Levante a cabeça, descubra o amor e volte à viver. Não se culpe, mas aceite a sua humanidade. Deus não espera perfeição. Não queira ser mais exigente que Ele.

Reinvente-se !

Meu amigo Marcelo Testa, empreendedor nato e otimista incansável, falava dia desses sobre uma característica fundamental para quem deseja encontrar novos e melhores caminhos profissionais : a capacidade de se reinventar. Em torno de uma mesa na Adega Garrafeira, num fim de tarde quente e diante de um Prosecco gelado, a conversa era sobre os desafios de uma geração que está na casa dos 50 anos de idade e que ainda tem sonhos e projetos à realizar. São homens e mulheres de diversas áreas de atuação, que estão ou não no mercado de trabalho, mas que em comum tem o desejo e a competência para buscar patamares mais elevados de prosperidade, e novas possibilidades de reconhecimento profissional. Alguns projetam manter-se na mesma atividade só que de forma independente, mas outros querem mesmo é uma guinada radical. É aí que o Marcelo falou sobre reinvenção pessoal, que parece simples, mas não é. Reinventar-se pode significar assumir uma postura totalmente nova, tanto na forma de pensar quanto na de agir. Significa deixar o conhecido e se jogar, aos 50 anos e poucos anos, no que parece ser uma jornada desconhecida e assustadora. Reinventar-se pode exigir que alguns passos sejam dados para trás antes de seguir adiante. Em muitas situações o ego precisará ser desinflado, e a identidade profissional, que já se fundiu à pessoal, desconstruída. É uma jornada difícil e desafiadora que faz com que alguns desistam, mas que não impede que tantos outros sigam em frente. Desses que seguem em frente, muitos acreditam que essa arrancada pode ser a derradeira que a vida oferece, e que existe aí uma oportunidade de corrigir erros do passado e recuperar de alguma forma o tempo desperdiçado numa atividade profissional que foi insatisfatória. Nesse grupo dos corajosos, tem aqueles que buscam uma estabilidade financeira e os que querem deixar um legado para serem lembrados. Conversar com alguém que está se reinventando é estimulante e inspirador. O Marcelo, que sempre se reinventou, está vivenciando novamente essa jornada, e os frutos começam à aparecer. Eu penso que reinventar-se é na verdade o momento em que decide-se pelo desapego ao que rouba a alegria e paralisa, para colocar toda a energia à favor do que enriquece a alma e atrai a felicidade. É viver a própria essência, sem mentiras e sem medo. É assumir o controle sobre a própria vida e dela aceitar o melhor. Portanto, reinventar-se deve ser um exercício diário no campo profissional e pessoal. E não é preciso esperar os 50 anos para começar, porque é preciso ter pressa em ser feliz. Pode começar agora.