Reencontro

Os dias repletos de desencontros, mal entendidos e discussões fazem parte da vida de todos os mortais, e às vezes se repetem numa frequência irritante. Surgem de forma surpreendente, ou enviam sinais que nem sempre são notados. Mas cada um tem seu jeito de lidar com esses dias, seja no bar ou por orar. Eu, por exemplo, revisito o meu passado. Vou aos lugares onde morei, casas hoje quase irreconhecíveis depois de tantas reformas através dos anos. Ouço músicas que embalaram sonhos lindos e impossíveis. Visito tias que ainda distribuem aquela alegria que me fortalece, o carinho que me falta, e a paz que me equilibra. Nesses dias, relembro passagens da infância e adolescência, fatos que me levam do presente imprevisível e angustiante para momentos conhecidos e repletos de boas lembranças. São refúgios de onde volto mais próximo de mim mesmo. Esse reencontro pessoal é um religar, e então a energia flui, e a força se restabelece. O ideal é fazer desse reencontro uma jornada diária, seja qual for o caminho que cada um escolhe para isso. Só assim é possível manter-se conectado com quem realmente vale a pena : a gente mesmo.

Autor: Rogério Franco

Radialista, jornalista, publicitário, escritor e palestrante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *