Amor, carinho e muitas dúvidas

Dia desses uma amiga lamentava a situação atual do seu casamento de 24 anos. Ela dizia em relação ao marido :’a gente se dá bem, nos respeitamos, não existem brigas. Ele é um homem muito bom, mas simplesmente acostumamos um com o outro. Eu sinto a vida passando e essa mesmice me faz mal. O que eu sinto pelo meu marido é carinho, e não mais amor”. De todo o desabafo, confesso que essa última frase me fez pensar : “sinto carinho e não mais amor”, e vou explicar porque. Carinho é uma demonstração de amor, é a forma de vivenciar e praticar o amor. Isso significa que se existe carinho deve existir também amor, certo ? Depende. É comum o uso do termo ‘tratar com carinho’ em vários sentidos como : se relacionar com educação, tratar alguém com respeito, prestar ajuda. Essas atitudes denotam sim uma forma de amor ao próximo, mas não o amor romântico, que une os apaixonados. Por outro lado, é natural que com o passar do tempo ocorra no casamento uma transformação nesse amor, o que não significa que ele desapareceu, ou que uma separação seja a solução. Certas pessoas confessam não terem conhecido o amor intenso, visceral no relacionamento, apesar de casadas e vivendo satisfeitas, ou conformadas. São situações onde não existe certo ou errado e muito menos respostas prontas. Na história da minha amiga, será que o amor acabou mesmo ou ela que não se deu conta de que o amor maduro é naturalmente mais sereno mas nem por isso está condenado à ser rotineiro e sem sentido ? Existe aí apenas um desejo de aventurar-se ? Ou será que chegou mesmo o momento dela assumir um novo caminho, sozinha ou com outra pessoa, com a certeza de que nunca é tarde para recomeçar ? Diante desses conflitos que demandam entendimento para aceitar ou coragem para mudar, o auto conhecimento pode indicar a opção mais adequada. O que deve guiar a reflexão em cada caso é a busca consciente e honesta pela felicidade e pela paz interior.

Autor: Rogério Franco

Radialista, jornalista, publicitário, escritor e palestrante.

1 pensamento em “Amor, carinho e muitas dúvidas”

  1. Fabuloso seu texto. Cara, você escreve muito bem. Pq não é colunista de algum meio de comunicação digital? Tem muita gente perdendo mensagens brilhantes… isso não pode se prender apenas a um Blog! Felicidades grde Rogério…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *