Tudo por um pãozinho com casca

A gente acha que a vida nos deve obrigações e satisfações. Sabemos que o sol nascerá amanhã, que o dia será de 24 horas e que haverá oxigênio disponível para todos. Isso nos faz acreditar que sempre teremos o básico para nossa subsistência, e que é natural a vida nos prover o que necessitamos diariamente. E essa atitude faz com que nos esqueçamos de valorizar, e agradecer, as coisas mais simples. Na verdade, é só quando perdemos o que consideramos corriqueiro, que percebemos o seu valor. Muitas pessoas doentes são tolhidas de atitudes, prazeres e gestos aparentemente insignificantes para quem tem saúde. Reformulando : aquilo que é absurdamente comum quando se tem uma certa dose de saúde, torna-se uma conquista memorável para quem tem alguma limitação, momentânea ou permanente. Pensei nessa questão ao acompanhar a entrevista do ex-presidente Lula, que comemora a vitória sobre um câncer de garganta. Após falar sobre o choque inicial ao saber do diagnóstico, os tratamentos dolorosos de radio e quimioterapia e a importância da fé em todo esse processo, Lula disse que a sua maior alegria será o dia em que ele puder comer um pãozinho com casca. Palavras dele : “esse será o dia !!”. Percebeu ? O maior desejo do homem reconhecido mundialmente e presidente do Brasil por duas vezes é poder comer um simples pãozinho com casca ! Algo que é banal para a maioria, mas que foi interrompido pela doença, é a grande meta da vida do Lula. Essa história e tantas outras parecidas nos fazem olhar com gratidão para as coisas mais simples da vida. É bom nos lembrarmos e valorizarmos a simplicidade das coisas, dos momentos e das pessoas. Com a consciência de que tudo é passageiro, e deixará saudades.

Autor: Rogério Franco

Radialista, jornalista, publicitário, escritor e palestrante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *