Queijo, vinho e desejo

Um conto é uma narrativa curta, que dá o seu recado. Esse é um recado que as mulheres conhecem.

“O coração é um mar, sujeito à influência da lua e dos ventos”. Machado de Assis

Foi tudo muito rápido e intenso. O dia tinha sido estressante por conta de uma discussão com o marido. Nos últimos meses ela sentia um distanciamento entre os dois, com a consequente falta de carinho e atenção. Naquela manhã de sábado ela tentou conversar sobre isso, o marido retrucou dizendo que ela era uma idiota perfeita, e que ele não tinha que dar satisfações. Ainda aos berros, bateu a porta e saiu cantando os pneus rumo ao bar, provavelmente. Ela sentiu-se ofendida, gritou, chorou e tomou um comprimido de Bromazepan para dormir. Acordou já no início da noite, o marido não havia voltado, tomou um banho, colocou um vestidinho leve e foi ao supermercado. Na sessão de vinhos ele perguntou se Malbec harmonizava com queijo Estepe. Ela levou um susto : há muito tempo ninguém se interessava por sua opinião e lhe sorria com alegria e interesse. Tentando balbuciar alguma coisa ela se desculpou e saiu apressada com seu carrinho, o coração disparado. Imediatamente vieram pensamentos e sensações que toda mulher conhece : as tentativas frustradas de aproximação com o marido, as dúvidas sobre o futuro do casamento, a rejeição ao implorar por carinho, e aquela vontade de se sentir desejada. No corredor de produtos naturais os carrinhos novamente se encontraram e ela disse, trêmula e respiração acelerada, que gostaria de experimentar Malbec com Estepe. Os carrinhos ficaram alí mesmo. Aquela noite foi uma experiência avassaladora, ela não se lembra do lugar, de quanto tempo durou; mas foi tudo. Nada à ver com vingança, foi por ela mesma. Quando chegou em casa o marido estava esparramado na cama, roncando alto, cheiro de álcool no ar. Ela olhou a cena, sorriu com superioridade e foi dormir. Dormir não, foi sonhar, como nunca antes.

Uma maneira de pensar a ingratidão

Poucas coisas magoam tanto quanto tentar ajudar alguém e receber em troca rejeição e grosseria. Eu imagino que você já tenha passado por isso. A ingratidão tem várias faces : pode ser o não agradecimento pelas coisas boas recebidas, sejam elas materiais ou não, tem aquela outra ingratidão típica de quando se oferece uma palavra de orientação, um conselho e a reação do interlocutor, à quem se pretende ajudar, é mal educada, além de outras. Eu já me me decepcionei tanto com atos de ingratidão que cansei, e não sofro mais. Sim, continuo levando umas bordoadas, mas não me permito mais cair em lamentações por conta disso. E sabe o que me fez mudar a postura ? Foi aceitar o fato de que eu também já agi com ingratidão muitas vezes, e certamente ainda agirei assim mesmo que de forma inconsciente. Quando olho para trás eu percebo que me afastei de muitas pessoas que participaram da minha vida e me ajudaram. E me afastei por estar envolvido em projetos profissionais e na correria do cotidiano, como todo mundo. Mas na avaliação de algumas daquelas pessoas queridas, eu posso ter sido considerado um ingrato. Entendeu ? A intenção que temos é uma, a forma como as pessoas percebem é outra. Tudo bem que essa pode ser uma ‘ingratidão mais branda, sem agressividade’, mas é outra face da mesma moeda. O que também me ensinou à ter mais paciência com atitudes ingratas, foi reconhecer que diante de Deus, todos nós agimos com ingratidão, por mais que nos esforcemos à fazer diferente. Sim, porque é humanamente impossível demonstrarmos a gratidão perfeita e completa por tudo o que Deus nos oferece. Portanto, meus amigos e amigas, vamos também olhar com mais generosidade para os gestos que consideramos ser de ingratidão, aceitando o fato de que não somos melhores do que ninguém. Assim, a vida fica mais leve e a frustração mais distante.

É amor mesmo ?

Falar é muito fácil. Outro dia um amigo dizia que sua esposa estava triste porque ele não concordava que ela voltasse ao mercado de trabalho. Ele explicava : “Por que ela tem que voltar à trabalhar ? Ela tem tudo o que precisa e eu à amo muito !”. Aí eu interrompi e perguntei que raio de amor é esse que desconsidera os sonhos e desejos da própria esposa. E ele desconversou. Falar em amor é bonitinho, mas só falar é inútil. Amor é ação e não discurso. Quando existe algum problema sério no relacionamento, como uma traição, o que cometeu o erro dirá : “Eu sei que errei mas eu te amo !”. Será que é amor mesmo ? A palavra amor tem sido utilizada para justificar várias atitudes. Então o marido é rude mas diz que ama a sua esposa, o cidadão no trabalho fala pelas costas mas diz que não fez por mal porque gosta do seu colega, os pais punem exageradamente os seus filhos e dizem que é por amor. Amor à pátria, amor à uma religião, amor à um líder, amor à um time de futebol; o amor tem servido de justificativa para muitas guerras e barbáries. Mais um exemplo : um covarde agride sua mulher, física ou verbalmente, e depois vem dizer que à ama ! E tem gente que mata e diz que foi por amor ! Para existir em qualquer relação, o amor tem que ser construído, e isso dá trabalho, exige tempo e entrega. Eu só posso dizer que amo alguém se eu me interessar por essa pessoa e me empenhar para que ela seja melhor e mais feliz. Em certos casamentos a cumplicidade, o respeito e o sentimento desapareceram, mas a palavra amor é repetida muitas vezes. Da boca prá fora, claro. Amor é ação, é movimento. Se não for assim, é só fingimento.

Pensamentos Negativos

Isso acontece com você ? O dia está passando sem grandes problemas, a rotina vai se desenrolando de forma previsível, tudo dentro da normalidade. Mas eis que de repente surge um pensamento negativo, e pronto, aquela serenidade vai pelos ares ! Esses pensamentos quase sempre estão relacionados à alguma preocupação, medo, insegurança ou culpa. Eles chegam de forma rápida e arrasadora, tomam conta de nossa mente, coração e alma. E mesmo se no momento estivermos realizando uma tarefa agradável ou nos divertindo, somos levados como que pela força de um tsuname e ficamos atormentados. Tudo por causa de um pensamento. Há milhares de anos o budismo diz que devemos questionar os nossos pensamentos, porque na maioria das vezes, eles criam uma realidade terrível, e irreal. Jesus Cristo várias vezes repreendeu seus discípulos quando os pensamentos deles eram de fraqueza e falta de fé. Aristóteles comentou : É sinal de uma mente educada ser capaz de entreter um pensamento sem aceitá-lo”. A psicologia e seus pensadores procuram entender o emaranhado cognitivo capaz de gerar aflição e atitudes não saudáveis. Especialmente a Terapia Cognitiva ajuda o indivíduo à lidar com esses Pensamentos Automáticos Negativos. Eu já passei por essa terapia e tenho lidado melhor com os esse tipo de pensamento, mas é uma luta diária. Portanto, questione os seus pensamentos negativos, não acredite prontamente neles. Antes de tomar uma atitude irrefletida, analise seus pensamentos de maneira serena, veja se eles correspondem aos fatos. Principalmente aqueles que dizem que ninguém gosta de você e que os seus sonhos não serão realizados, bem como os que nos induzem à tratar todas as pessoas como inimigas. Esses pensamentos trazem sofrimento por antecipação, e muitas vezes, sem motivo real. Esteja consciente disso : duvide dos seus pensamentos negativos, mas acredite em você, sempre !